sábado, 23 de novembro de 2013

Dicionário de palavras e termos de Costura e Patchwork.

Existem alguns termos e palavras relacionados à costura e ao patchwork, que muitas vezes não sabemos como se fala ou escreve e muito menos o que significam.
Por isso, decidi fazer aqui nesse espaço do meu blog, um guia de consulta para vocês e eu, podermos tirar dúvidas e aprender um pouco mais.
Caso você conheça um termo ou palavra que não está aqui, basta me mandar e eu acrescento, assim sempre teremos esse local atualizado.
Espero que ajude e que gostem.

Siglas muito usadas:

BOM= Block Of the Month=Bloco do mês. (alguns sites fornecem mensalmente blocos com explicações  de forma gratuita ou paga).

DIY= Do It Yourself = Faça você mesma.

EPP= English Paper Piecing = Técnica de costura à mão, onde se estabiliza o tecido com um molde de papel, para garantir que fique com o formato perfeito. 

PAP= Passo A Passo (explicação do projeto, em detalhes). Em inglês chamam de “Tutorial”, ou de SBS= Step By Step = Passo a passo.

UFO= UnFinished Object= Trabalho inacabado. (Aqueles projetos que começamos e que por algum motivo acabam ficando de lado).

WIP= Work In Progress =Trabalho em andamento. (Quando se quer mostrar o projeto que está sendo executado).

Dicionário


ÁLBUM QUILT – um quilt feito de vários blocos diferentes construídos por diversas pessoas. Frequentemente, é dado como lembranças. Antigamente, os blocos eram assinados com tinta ou bordados. Hoje, existem canetas especiais para tecidos. 

ALFINETES DE SEGURANÇA (“PIN-BASTE”) – São alfinetes que prendem o sanduíche de um quilt e os mantém presos durante o quilting, só serão removidos quando o quilting estiver completo. 

ALINHAVO – são pontos grandes costurados ao longo do trabalho para segurar o tecido temporariamente no lugar. O alinhavo é feito na etapa do sanduíche, em que as três camadas do quilt (topo, enchimento e forro) são unidas, formando um sanduíche para depois ser feito o trabalho de quiltng. Podem ser usados alfinetes de segurança e alfinetes longos para segurar o sanduíche. Essa etapa do sanduíche é muito importante para a finalização do trabalho, que é feito à mão. Também se faz o alinhavo na técnica de aplicação para que as peças a serem aplicadas não saiam do lugar. Os pontos de alinhavo são grandes, diferentes do quilting. Para um bom resultado, começamos o alinhavo sempre do centro para as bordas, garantindo que não fique com sobras ou enrugado.

ALTERNATE BLOCKS – (blocos alternados) – blocos secundários que se alternam com os blocos principais em uma colcha. Eles podem ser planos ou trabalhados.

AMISH QUILT – é um estilo originado das comunidades “Amish” da Pensilvânia ou do meio-oeste americano (Ohio ou Indiana). Normalmente, são usados tecidos lisos em fundo marinho ou preto. As bordas têm um design popular. Os padrões são geométricos e simples. Necessariamente, não precisa ser feito por um Amish para ser um amish quilt. É um estilo.

APLICAÇÃO- 1) uma técnica em que pedaços de tecidos são costurados sobre outro tecido(fundo), formando um desenho. Pode ser feita à mão ou à máquina. Algumas vezes, são usados alguns pontos de bordado para finalizar o trabalho. Há várias formas e materiais de aplicação no mercado.2) Costurar pequenos pedaços de tecido sobre um tecido maior. Normalmente estes  pequenos tecidos tem formas. Exemplo: flores, estrelas, borboletas, etc....Pode-se aplicar à mão, ou à máquina. Quando feito à mão, usa-se ponto de casear, ou virada da agulha, ou mesmo pesponto deixando as bordas livres.... Quando feito à máquina, usa-se ponto de casear ou zig-zag, ou ainda algum ponto de bordar, ou também o pesponto deixando as bordas livres. Ao aplicar deixando as bordas livres, deve-se ter o cuidado de usar tecidos que não desfiem muito, principalmente ao lavar. Atualmente usa-se muito feltro. 

APPLIQUE – termo em inglês que significa aplicação.

APPLIQUÉ PINS – alfinetes especiais para aplicação. Possuem o tamanho de, mais ou menos, ½ polegada. São pequeninos e facilitam o trabalho na hora de aplicar. Também há variação no tamanho, dependendo da técnica.

ASELHA – pequena tira usada para formar a casa de um botão.

ASSEMBLY PIECING – maneira de emendar os blocos em conjunto ou seções, formando uma seqüência. São costurados vários blocos ao mesmo tempo. É o mesmo que “chain piecing”.

ASSENTAR AS COSTURAS - bater as costuras a ferro para que fiquem lisas

AUTOGRAPH QUILT – (quilt de assinaturas) – um quilt com assinatura dos amigos, feito em conjunto, para um acontecimento. Também é chamado de memory quilt, álbum quilt ou signature quilt.

BACKING (apoio) – as “costas” ou  a parte de trás de um quilt. É a terceira camada do “sanduíche”. Tradicionalmente, é feito com um único pedaço de tecido, podendo ser liso ou estampado. É também conhecido como forro.

BACKGROUND (fundo ou base) – tecido que serve como base. Normalmente, são usados panos claros os chamados “neutrinhos” (brancos, bege-claro ou cremes). Também pode ser o tecido em que o molde do aplique é costurado e, geralmente, dá leveza ao trabalho.

BACK STITCH (ponto de volta) – um ponto de bordado feito para trás conhecido como ponto atrás.

BALTIMORE – estilo de aplique elegante e complexo, muito popular no início do século XIX em Baltimore, Maryland (E.U.A). O Baltimore tradicional usa como base um tecido branco com aplicações florais nas cores vermelha e verde, formando arranjo ou buquê.

BARGELLO – estilo que usa a técnica de piecing ou rotary cutting, em que tiras de cores e larguras variadas de tecidos são cortadas e costuradas primeiro em jogos horizontais, depois cortadas  e organizadas em jogos verticais, formando projetos geométricos que, freqüentemente, têm onda ou um look ondulado(movimento de subir e descer).

BASTING -O mesmo que alinhavo

BASTING SPRAY - o mesmo que spray adesivo

BATIK – técnica de tintura que proporcionam um aspecto manchado ao tecido. Algumas áreas do tecido são cobertas com cera, formando alguns desenhos (manchas ou geométricos). Assim, a tinta não penetra nas áreas cobertas pela cera. O batik é muito famoso na Indonésia.

BATTING-o mesmo que enchimento

BEARDING – uma técnica em que as fibras do recheio saem para o tecido do topo ou da capa e pelo forro, através dos buracos feitos pelos pontos do quilt. Por isso, invista em um bom enchimento para não ver o trabalho perdido.

BEESWAX – material feito de cera solidificada, como uma parafina. Quando passado na linha, reduz o embaraço e o desfiamento dela. Além disso, torna a linha macia, reduzindo sua fricção no tecido.

BETWEENS – agulhas próprias para o quilt feito à mão. São finas e com um buraco bem pequeno , como as de alfaiate. Possuem tamanhos de 9 a 12. Lembre-se: quanto maior o número,  menor e mais curta é a agulha. Quanto menor a agulha, menor o ponto. Procure as que melhor se adaptam ao seu tamanho de trabalho e ao seu estilo.

BIAS -O mesmo que viés

BINDING- O mesmo que debrum

BIRTHING A QUILT – é uma forma de unir a frente e o recheio do sanduíche. Coloca-se o fundo sobre a frente, direito com o direito. Costura-se margeando os lados com ¼ polegada. Abra uma pequena parte. É como fazer uma almofada. Então, desviram-se as capas e costura-se a abertura com pontinhos invisíveis à mão. Faz-se o quilting normal,à máquina ou à mão, ou através da técnica de amarrar. Esse método é muito utilizado para fazer o quilow.

BLEEDING - o mesmo que sangramento

BLOCK o mesmo que bloco

BLOCO – 1)unidades criadas quando se costuram retalhos de tecidos. São formas quadradas ou retangulares. Podem ser em pedaços (pieced blocks) ou aplicados(appliqué blocks). Os blocos são as bases de um projeto.
2)É a unidade básica do topo de um quilt. Os blocos são normalmente quadrados, mas podem ser de outros formatos: retangulares, hexagonais etc. Eles podem ser lisos (de um tecido só), com aplicação ou compostos por partes de tecidos costurados juntos para formar um desenho. O topo de um quilt é a combinação de vários blocos. 

BOBINA – pecinha de máquina de costura, redonda, de metal ou de plástico, onde se coloca a linha que será usada para fazer o outro lado da costura(avesso).

BORDERS- o mesmo que bordas.

BORDA (“BORDER”) – É uma tira de tecido (lisa, com aplicação ou pedaços de tecidos) costurada em volta do topo do quilt. É usada para enquadrá-lo e também acrescentar um tamanho extra.  2) Tira de tecido que faz o papel de moldura em um quilt ou em qualquer outro trabalho de patchwork. Pode ser o único pedaço de tecido ou várias tiras costuradas . Se a borda for de um único tecido, é importante que não tenha emenda.

BORDADO PERSA – método de aplicação, em que imagem de tecidos impressos (flores, frutas, animais, etc.) são recortados e aplicadas em uma base lisa. É uma técnica popular na Europa, na qual usam-se tecidos da Ásia e da Índia.

BROADCLOTH – pano fino de algodão, muito usado no patchwork. Possui uma tecelagem simples e normalmente lisa. A popeline e o tricoline são exemplos desse tecido.

CALEIDOSCÓPIO (“KALEIDOSCOPE”) – Como vocês sabem, caleidoscópio é um aparelho óptico formado por um pequeno tubo, com pequenos fragmentos de vidro colorido e espelhos, que, através do reflexo da luz, apresentam, a cada movimento, combinações variadas e agradáveis de efeito visual. A técnica do caleidoscópio consiste em imitar esse efeito nos tecidos utilizando apenas um único tecido. 

CALICO – tecido de algodão de tecelagem simples e popular, impresso com um padrão pequeno e repetido. Os padrões são geralmente florais ou com pequenas folhagens. É um tecido usado em trabalhos com blocos típicos e tradicionais.

CANTO DE BORDA QUADRADA – quadrado colocado no canto da borda do trabalho que une as laterais.

CANTO MITRADO (“MITER OU MITERED CORNER”) – É o ato de unir duas bordas a 45°. 

CHALLENGE (desafio) – é uma pequena competição ou um desafio de quilt. É patrocinado por um estabelecimento comercial ou distribuidor de tecidos. No desafio, o quilt é feito com determinados tecidos escolhidos pelo patrocinador.

CHAINSTITCHING OU CHAINING OU CHAIN-PIECING – É uma forma de costurar a máquina vários pedaços de tecidos sem cortar a linha entre eles, os tecidos são colocados na máquina um após o outro, isto acelera o processo e usa menos linha. 

CHARM QUILT – emenda de pequenos pedaços de tecidos(diferentes) do mesmo tamanho. Os pedaços possuem, tradicionalmente 2” e nunca são maiores que 5”.

CHULEAR Dar ponto de costura ligeiro na borda de um tecido, para que não desfie. Ex. A máquina de costura caseia, chuleia e prega botões.
CHULEADO chuleado é uma costura ziguezague feita na beirada do tecido para dar o acabamento e evitar que desfie. Ex. Precisa fazer o chuleado nessa roupa.
CHULEIO 1 Arremate feito na parte de dentro do pano, para evitar que desfie. Ex. O chuleio é uma costura feita com Overlock
CHULEIO 2 Costura, remendo, etc. Ex. Ela fez um chuleio na roupa.

CLAMSHELL – padrão de tecidos com ondas circulares, imitando as camas de peixe ou mariscos. Esse design é usado em aplicações e técnicas de vitral.

CORNERSTONES – chamados de “taquinhos”, são pequenos quadrados colocados no cantos das molduras que unem os blocos. É, também, chamado de sashing square. 

CORTADOR CIRCULAR (“ROTARY CUTTING”) – É um cortador de tecido, parecido, na aparência, com um cortador de pizza. Possui uma lâmina circular muito afiada. Usado em conjunto com a régua permite que várias camadas de tecidos sejam cortadas ao mesmo tempo, facilmente, e com grande exatidão. 

CRAZY BLOCK ou CRAZY PATCH – bloco feito com pedaços irregulares. Usam-se os mais diferentes tipos de tecidos. Como são irregulares e não seguem padrão determinado de costura, é feito um bordado nas emendas do tecido.Os bordados são diversificados. Quando vários blocos “crazy” estão agrupados, eles formam um crazy quilt. É comum usar fundações para esse tempo, , pois facilita o trabalho com tecidos e diferentes texturas.

CROSS-HATCHING –O mesmo que metalassê.

COSTURA EM CADEIA – método para costurar peças pequenas e um bloco em cadeia, conjunto ou seções, de maneira contínua.É o mesmo que Assembly Piecing. É feito usando à máquina de costura.Para obter esse resultado, corte todos os pedaços de blocos que você irá fazer.Junte o pedaço 1 a pedaço 2 do primeiro bloco, lado direito com lado direito. Costure na margem marcada. Não corte a linha. Avance a máquina em alguns pontos e costure o pedaço 1 com o pedaço 2 do bloco 2 . Siga essa seqüencia até costurar todos os blocos Depois, acrescente os outros pedaços até terminar todos os blocos. Observe que os blocos estarão costurados como bandeirolas. Separe-os.    

DARNING FOOT – pé especial para a máquina de costura usado para fazer o quilt livremente pelo tecido.

DEBRUM – falso viés. É uma faixa na extremidade do quilt na qual termina o projeto. Em outras palavras, é o acabamento. Chamado de falso viés, por ser cortado em fio reto.

DENTES IMPELENTES – mecanismo que fica debaixo do pé da máquina de costura e que puxa o tecido enquanto você costura. Quando for fazer o quilt livre, esse mecanismo deverá ser coberto.

DISAPPEARING NINE PATCH (desaparecimento do nine patch ou )-Técnica em que o bloco Nine Patch é cortado, e as peças são trocadas de ordem. 

DESIGN WALL - é uma placa acolchoada, coberta de tecido, onde você pode colar os tecidos/pregar com alfinete para visualizar como vai ficar seu trabalho antes de costurar tudo. É facinho de fazer, só cobrir uma placa de qualquer coisa com manta e a manta com um tecido (branco). ^___^

EASE (facilidade) – É o ato de fazer dois pedaços de tecidos de diferentes tamanhos se ajustarem na mesma costura. Um pedaço deverá ser esticado para se ajustar ao comprimento necessário. Para fazer, alfinete os pedaços em intervalos até que eles se ajustem, depois costure-os.

ELETRIC QUILT (EQ5) – um sofware ( programa) de design de quilt. Talvez seja um dos mais complexos existentes no mercado. Ele já se encontra na versão “Eletric Quilt 5”, lançada em junho de 2002.

EMBROIDERY – bordado.

ENCHIMENTO– é a parte que vai entre o topo e o forro do quilt e a camada que dá maciez e aspecto de acolchoado ao trabalho. No Brasil, usa-se a manta acrílica (acrilon), que pode ser encontrada em várias espessuras. Por ser de poliéster, o uso do acrilon traz algumas desvantagens na hora de lavar e de passar. Algumas quilters usam o acrilon apenas em painéis ou em alguma peça que não será lavada com freqüência . Existe o enchimennto 100% algodão, de lã, de poliéster, de seda ou misto. No Brasil, algumas lojas especializadas em patchwork vendem o enchimento 100% algodão e, também, o adesivo. A espessura influencia na hora de quiltar.

ENTRETELA - Tecido de fibra colante usada em confecções, para dar mais estrutura nos tecidos, bordados etc. Ex. Esta blusa tem entretela na gola

ENTREMEIO - Que está entre dois

FABRIC – tecido

FAIXAS DE UNIÃO (“SASHING” OU “LATTICE”) – São faixas de tecido que separam os blocos de um quilt, podem ser lisas (de um tecido só) ou compostas por partes de tecidos costurados juntos para formar um desenho. 

FAT EIGHT – retalho que mede 9” x 22”. 

FAT QUARTER – É um pedaço de tecido que mede aproximadamente 18 x 22 polegadas que equivale a 46 x 56 centímetros. Em uma jarda (yard) de tecido., você obtém 4 fat quartes. É abreviado como FQ.

FEED DOGS – O mesmo que dentes impelentes .

FILIGRANA – Tem diversos formatos, estilos, cores, materiais, texturas… Esses caprichados bordados que são trabalhos ornamentais utilizados desde a antiguidade grega e romana, em joalherias e decoração. O processo constitui-se de bordados realizados com finos fios e pequeninas bolas de metal, e que podem ser encontradas na região norte de Portugal, nos vestidos tradicionais das noivas e em trajes femininos folclóricos na região do Minho, e nos bolsos de calças jeans.

FILLING  ou FILLER PATTERN – quilting (pesponto) que cobre toda a área de base do quilt.

FINGER- o mesmo que vincar.

FINISHED SIZE – medida final de um bloco sem a margem de costura.

FIO DO TECIDO (“GRAIN”) - É a direção do tecido paralela à ourela (fios verticais) ou perpendicular a ela (fios horizontais). Esses são os sentidos que menos cedem se comparado ao viés.

FLYING GEESE- Bloco formado por uma sequência de triângulos, que lembram a formação de gansos selvagens voando.

FOUNDATION PIECING – método de montar um bloco, costurando os pedaços em uma base de outro tecido(tipo museline), que serve como uma espécie de molde – guia. Proporciona estabilidade quando se costura tecidos delicados.

FOUNDATION OU PAPER PIECING – método para montagem de blocos em que o risco ou o modelo (template) do bloco é transferido para o papel, e os tecidos vão sendo costurados diretamente no papel, seguindo uma ordem. Esse método é muito utilizado para blocos complicados ou para miniatura. É excelente para quem gosta de precisão. Existe, hoje, papel próprio para fundação ou uma espécie de entretela.

FOUR PATCH – bloco com múltiplos de dois ou de quatro unidades(patches) por linha.

FREE QUILTING (quilt livre) – método de quilting à máquina com movimentos livres, em que os “feed dogs” são cobertos e a quilter guia a direção da costura. É o mesmo que stipling ou meandering.

FREEZER PAPER – material de papel vendido em rolos ou a metro, cujo molde é riscado sobre um lado do papel e o outro lado(brilhante) adere ao tecido (lado do avesso) quando passado a ferro. Essa colagem é temporária. É muito usado em aplicação. /serve como guia para os moldes e é um facilitador para trabalhos delicados. Este papel é parecido com o que embala lanches e pode ser reaproveitado.

FRENCH KNOT – nó francês.

FRIENDSHIP QUILT – quilt de amizade, no qual os blocos que o compõe são assinados pela autora correspondente.

FUSIBLE – O mesmo que papel termocolante.

FUSIBLE BATTING – recheio (acrilon) termo colante.

FUSSY CUT – meio de isolar as áreas impressas de um tecido. Recortar uma gravura de um tecido para usá-la em um bloco. Usualmente, recortam-se flores. Frutas, animais, etc. É uma forma divertida de adquirir novas imagens, porém dispendiosa. 

GRAIN - O mesmo que fio do tecido.
KALEIDOSCOPE- O mesmo que caleidoscópio.

LATTICE- O mesmo que faixas de união.

LOFT – É um termo que se refere à espessura e a elasticidade do enchimento do quilt. Uma espessura alta (high-loft) é mais grossa e mais fofa do que uma baixa (low-loft).

MATELASSÊ (“CROSS-HATCHING”) –1) É um tipo de quilting formado por linhas eqüidistantes paralelas feitas nas duas direções formando uma grade de quadrados ou losangos.2)Padrão de “quilt” em linhas paralelas e eqüidistantes, que correm em direções opostas, formando uma espécie de “rede” de quadrados (45º) ou losangos (60º) 

MARGEM DE COSTURA (“SEAM ALLOWANCE”) – É a distância entre a linha de costura e o final do tecido. Para os projetos em polegadas equivale a ¼” e para os em centímetros 0,75 cm. 


MEDALHÃO (“MEDALLION QUILT”) – É o topo de um quilt com um motivo central, enquadrado por múltiplas bordas.  

MITER OU MITERED CORNER- O mesmo que canto mitrado.

MOLDE (“TEMPLATE”) – É um modelo feito de plástico ou papel usado para traçar e cortar pedaços de tecidos para piecing, aplicação ou para transferir um desenho para o topo para quilting.  

MORIN (“MUSLIN”) – É um tecido liso, normalmente não tingido que pode ser branqueado ou não. Muitas vezes é usado como forro para aplicações ou blocos que posteriormente irão receber outro forro.  

MOTIVO (“MOTIF”) – É a imagem usada em um tecido impresso, em um bloco ou em uma aplicação, por exemplo um motivo de coração ou o motivo floral.

Mug Rug - tapete de caneca, menor que um jogo americano, maior que um porta copos. É para ser usado na mesa de trabalho, ou em lugares com menos espaço, para lanches ou aquele cafezinho!

NINE PATCH - Bloco feito de nove quadrados. 

ON POINT – É um tipo de layout onde os blocos se encontram girados como diamantes, as quatro pontas dos blocos se encontram nas posições 12, 3, 6 e 9 do relógio.  

ONE-PATCH – Qualquer topo de um quilt feito apenas com um tipo de figura, como hexágonos, quadrados, triângulos …  

OURELA – borda, margem. Borda mais grossa de um tecido, servindo-lhe de acabamento. Arremate nas extremidades laterais dos tecidos.

PAPEL TERMOCOLANTE (“FUSIBLE WEBBING”) –1) É um papel que ao entrar em contato com calor (ferro quente) se torna um adesivo. Podem ser colantes de um lado só ou dos dois. São usados para estabilizar tecidos finos ou para colar partes de uma aplicação no tecido de fundo.  2)É usado para aplicação e facilita muito a confecção de peças pequenas e ou com muitas curvas, em que um lado do papel é colado, através do ferro de passar, no avesso do molde, que é colado na base(com o calor do ferro de passar). A qualidade do material e a forma influenciam muito no resultado final.

PAPER PIECING - O mesmo que Foundation.

PATCHWORK OU PIECEWORK – É um termo genérico para o processo de costurar pequenos pedaços de tecidos a fim de fazer um quilt.  

PESPONTO – 1. Ponto largo que arremata uma costura como reforço ou enfeite; PONTO-ATRÁS
2. Costura externa, feita à máquina com pontos graúdos, para prender ou ornamentar a parte costurada.

PIECE OU PATCH – É um pedaço de tecido que será costurado a outro para formar um bloco ou ser usado sozinho, como no caso do one-patch.  

PIECING – É o processo da junção de pedaços de tecidos para fazer um bloco ou uma borda ou o topo do quilt.  

PIN-BASTE - O mesmo que alfineto de segurança.

PONTO INVISÌVEL – ponto de costura usado para fechar aberturas por onde desviramos um trabalho.

QUILLOW - A combinação de uma colcha e um travesseiro é chamado de Quillow. A ideia básica é que você dobre a colcha em uma bolsa em anexo e quando está tudo fechado parece um travesseiro.

QUILT LIVRE (“FREEHAND QUILTING” OU “FREE MOTION QUILTING”) – É o quilting feito à máquina usando suas próprias mãos para guiar o desenho, para fazer um quilt livre é necessário estar usando o big foot e baixar os “dentinhos” da máquina.  

QUILTING (acolchoar) - É o processo de costurar a mão ou à máquina as camadas do quilt (topo, enchimento e forro) fazendo um desenho para acrescentar beleza ao quilt, mas principalmente manter as camadas juntas.  

REFILAR – aparar rebarbas e sobras de tecido deixando o trabalho com a medida desejada.

ROTARY CUTTING- O mesmo que cortador circular.

SAMPLER QUILT – É um quilt pieced composto por vários blocos diferentes e não um bloco único repetido.

SANDUÍCHE (“SANDWICH”) – É o termo utilizado para se referir às três camadas de um quilt (topo, enchimento e forro).  

SANGRAMENTO – estado de um tecido que solta tinta, manchando outro tecido. Por isso é importante lavar todos os tecidos antes de usá-los Ao lavarmos um tecido que “sangra”, devemos colocar sal na água até sair toda a tinta.

SASHING - O mesmo que faixas de união.

SEAM ALLOWANCE - O mesmo que margem de costura.

SEMINOLE - É uma técnica simples, que permite muitas variações, onde são formados desenhos geométricos, em sequência. 

SET – É a maneira em que os blocos são posicionados em um quilt. Eles podem estar em linha reta ou na diagonal.  

SPRAY ADESIVO – tipo de spary aerosol adesivo temporário que fixa o quilt topo,enchimento e o forro, na etapa do quilting (à máquina ou à mão). É muito usado para fixar peças de aplicação. 

STRIP-PIECING – Criação de desenhos pieced usando tiras de tecido costuradas juntas, cortadas transversalmente e depois costuradas novamente para formar o desenho.  

TEMPLATE- O mesmo que molde. 

TEMPLATE-FREE – É o método de cortar os pedaços de tecidos utilizando a régua como guia em vez de moldes.  

TIED-QUILT – É uma maneira de manter as três camadas (topo, enchimento e forro) juntas utilizando pedacinhos de tecido ou fios em vez de pontos de costura do quilting.  

TRAMA – série de fios em sentido horizontal que, ao unir-se com os fios do urdume, forma o tecido plano. É a largura da tela.

TRAPUNTO ou stuffed work, como também é conhecido em inglês - é uma técnica que produz um alto relevo no trabalho. É criado delineando-se o motivo com pontos à mão ou à máquina e depois preenchendo com uma camada extra de manta ou plumante.

TOPO (“QUILT TOP”) – É a camada decorativa de um quilt, fica na posição mais alta. Pode serpieced, aplicada ou uma combinação das duas, com ou sem bordas.  

URDUME – série de fios em sentido longitudinal que, ao unir-se com os fios da trama, formam o tecido plano. É a estrutura vertical do tecido que dá suporte e resistência à tela.

VIÉS (“BIAS”) – É a diagonal de um tecido. Um viés verdadeiro está a um ângulo de 45°em relação à longitudinal e à transversal do tecido. É o fio do tecido que mais cede, portanto devemos ter um cuidado extra ao trabalhar nesse fio.  

VINCAR- apertar ou bater a costura usando a ponta do dedo ou com um bastão de madeira (“ferro frio”) .

VIRADA DA AGULHA- É a técnica de aplicação à mão, usando-se ponto invisível, onde à medida em que vai se dando o ponto invisível, vai se virando o tecido para dentro. O efeito final é muito bonito, e parece que a costura foi feita toda por dentro da figura aplicada.

WALKING FOOD– É um pé de máquina especial utilizado para costurar o sanduíche de um quilt. Ele controla a camada superior (topo) enquanto os feed dogs controlam a camada de baixo (forro). 

5 comentários:

  1. Respostas
    1. obrigada amiga....eu mesma já sofri por não saber alguns termos...rsrsr

      Excluir
  2. Uau!! Nem sabia que havia tantos termos assim para patch!!! Parabéns pela pesquisa, muito útil!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Bia, que bom que gostou, espero que ajude...rsrs

      Excluir